Apesar da derrota, Flu se classifica para a segunda fase da Copa Sul-Americana

Nesta quinta-feira (10/05/18) o Fluminense entrou em campo para enfrentar o fraco time do Nacional de Potosí no segundo jogo da primeira rodada da Copa Sul-Americana. O Flu sabia que apesar de ter uma diferença de 3 gols sobre o adversário e da consciência de que não encontraria uma equipe competitiva pela frente, teria que se preocupar com a altitude de Potosí que são mais de 4 mil metros acima do nível do mar. Para isso, o Fluminense tinha no seu banco de reserva cilindros de gás oxigênio.

Com os problemas na logística, o time das Laranjeiras foi prejudicado e não treinou na altitude, sendo assim, se tornando mais difícil a adaptação. Marcos Júnior que estava confirmado para a partida, acabou sendo um desfalque, já que alegou sentir problemas com a altitude. Pablo Dyego foi quem substituiu o atacante tricolor.

Ao rolar a bola, a dificuldade do Tricolor com o ar rarefeito era notável. O Potosí praticamente dominou a primeira etapa, foram raras as chances que o Fluminense teve de marcar. O Flu que sofreu bastante com o ataque do time boliviano, contou com a ajuda de Júlio César. O goleiro Tricolor no início desta semana treinou com bolas de vôlei, para simular as possíveis curvas que a bola de futebol poderia fazer na altitude, e esse treinamento ajudou muito o Fluminense, já que Júlio fez ótimas defesas e possibilitou que seu time fosse para o intervalo sem tomar gols.

Mas no segundo tempo, nada pode fazer o goleiro do Flu. Logo nos primeiros 5 minutos, o time boliviano abriu o placar com Reina. 10 minutos depois do gol, Jadson comete pênalti e Reina abre dois gols de diferença. Com o gramado e situações de jogo (altitude) nada favoráveis para o Tricolor, era necessário mais que futebol jogado, era necessário garra, e para quem conhece o Fluminense, esse é um fator que nunca lhe falta. Dessa forma, o Flu aguentou a pressão do Potosí e saiu com a classificação para a segunda fase.

Vale ressaltar as atuações dos zagueiros Gum e Renato Chaves, ambos foram essências para a classificação do Tricolor. Apesar da crise financeira do clube e até mesmo política, o elenco do Fluminense se mostra forte e unido ao longo dessa temporada.

Após o jogo houve várias reclamações do jogadores e do próprio Abel Braga sobre as condições de jogo. Os principais alvos das reclamações foi o ar rarefeito e o estado do gramado. Para Abel jogar naquelas condições não é para um ser humano.

A delegação Tricolor chegará no Rio amanhã (11/05) e já pensará no clássico contra o Botafogo na segunda-feira (14/05) no Nilton Santos.

João Vitor Campos

Sou estudante de jornalismo e faço estágio na Universidade Candido Mendes. Sou fundador do Por Dentro do Gol, colaborador do site Torcedores.com e já tive uma passagem na Web Rádio Top Sports.