Em jogo polêmico, Bahia triunfa na Fonte Nova

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Fluminense pressiona com um a menos, mas não consegue evitar a derrota

Fluminense e Bahia se enfrentaram na noite deste domingo (26), na Fonte Nova. O técnico Roger Machado promoveu a volta dos atacantes Gilberto e Arthur Caíke, enquanto o treinador do Fluminense, Fernando Diniz, sem o volante Allan e o atacante Luciano, optou pelo meia Léo Artur e o volante Yuri para iniciar a partida.

O jogo foi bastante movimentado desde o começo. Gilberto, após um contra-ataque originado de um escanteio a favor da equipe carioca, lançou para Arthur abrir o placar. Em seguida, o artilheiro Pedro bateu o pênalti sofrido pelo atacante Yony e empatou o jogo. Ainda na etapa inicial, Agenor tenta driblar Gilberto, perde a bola e o atacante da equipe baiana empurra para o fundo do gol.

No segundo tempo, depois de ser revisado no VAR, o Bahia tem um pênalti a seu favor. O goleiro do Fluminense se adianta na primeira cobrança, e como já tinha amarelo, foi expulso. Na segunda, Gilberto converteu, ampliando o placar para 3 a 1. Aos 34, o meia Ganso cobrou uma falta rasteira e no rebote, o atacante João Pedro completou o placar final da partida.

Muita posse de bola da equipe carioca, mas pouca objetividade

O Fluminense começou o jogo no melhor estilo Diniz. Trocou muitos passes, entretanto, não conseguia chegar na área do Bahia. A posse de bola atingia a marca de 72%, contra apenas 28% do esquadrão baiano. A primeira finalização do time das Laranjeiras veio com um chute desviado de Yony González, aos 14 minutos. Em seguida, depois de um escanteio para o Flu, o Bahia partiu em contra-ataque e após uma tentativa de corte do lateral-esquerdo improvisado Caio Henrique, a bola sobra para o goleador Gilberto, que lança para Arthur Caíke bater cruzado no canto do goleiro Agenor, abrindo o placar na Fonte Nova.

Três minutos depois, o meia Léo Artur recebe livre no meio e toca para Yony dentro da área. O colombiano esperou para não ficar em impedimento e demorou a correr. Mas em função dessa desaceleração, ele acabou atropelado pelo lateral Nino Paraíba. O juiz marcou pênalti para o Fluminense, convertido pelo atacante Pedro. O time carioca continuava com a posse de bola, porém sem objetividade. Aos 29, Agenor tenta driblar Gilberto dentro da área e é desarmado. O atacante tem apenas o trabalho de empurrar a bola para a rede, colocando a equipe baiana na frente do placar. Yony, aos 32, domina na entrada da área, limpa a marcação e solta a bomba. A bola passa perto do travessão do goleiro Douglas. A intensidade da posse de bola do Fluminense permanecia a mesma, porém, o time não conseguia atingir a área do Bahia.

Foto: Tiago Caldas/ Agência Estado
Mesmo com um a menos, o Fluminense demonstrou bastante ofensividade

No segundo tempo, o técnico Fernando Diniz decidiu colocar a equipe para frente, e fez duas substituições: Ganso no lugar de Léo Artur e o atacante Marcos Paulo no lugar de Yuri. Assim como na etapa inicial, o Tricolor das Laranjeiras estabelecia o domínio do jogo através de uma intensa troca de passes. Aos 10 minutos, o atacante João Pedro cruzou forte, Marcos Paulo dominou, ajeitou e chutou por cima do gol.

O lance mais polêmico do jogo aconteceu aos 13. Depois de um cruzamento de Nino Paraíba, a bola bateu no braço do lateral-direito do Fluminense, Gilberto. Em um primeiro momento, o árbitro mandou seguir o jogo, no entanto, o VAR entrou em ação e o juiz marcou o pênalti. Gilberto, atacante do Bahia, bate no meio e Agenor defende. O árbitro, porém, em comunicação com o VAR, entendeu que o goleiro da equipe carioca se adiantou, e portanto, mandou repetir a cobrança. Como Agenor já tinha cartão amarelo e existe punição em caso de adiantamento na hora da cobrança, o camisa 25 recebeu o segundo cartão e foi expulso da partida. Na outra, agora contra o goleiro Rodolfo, Gilberto marca e aumenta a vantagem do time baiano na partida.

Apesar de estar com um jogador a menos, a equipe carioca não recuou e partiu com todas as forças para o campo de defesa do Bahia. Aos 34, Ganso cobrou falta rasteira, Douglas solta a bola e João Pedro diminuiu o placar no rebote. O Fluminense pressionou o time baiano, contudo, não conseguiu evitar a derrota fora de casa.

Foto: Felipe Oliveira/ E. C. Bahia
Panorama

O Bahia chegou aos 10 pontos, e com isso, subiu três posições na tabela, ocupando a décima colocação. Já o Fluminense permaneceu com seis pontos na classificação, mas perdeu duas posições, chegando a 15ª posição. O próximo jogo da equipe baiana pelo Brasileirão é no sábado (01/06), em casa, contra o Grêmio. O time das Laranjeiras vai enfrentar o Athletico Paranaense, no domingo (02/06), na Arena da Baixada. As duas equipes, no entanto, têm compromissos no meio de semana.

O time baiano volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar o São Paulo, novamente na Fonte Nova, pela Copa do Brasil. No primeiro jogo, vitória dos baianos por 1 a 0. No mesmo dia, a equipe carioca encara o Atlético Nacional, da Colômbia, em Medellín, pela Copa Sul-Americana. No jogo de ida, vitória dos cariocas por 4 a 1.

Anúncios

Sobre Gustavo Guerra

Estudante de jornalismo - PUC RIO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s