Com um sistema diferente, Flamengo empata contra Athletico-PR em jogo incisivo

Com as mesmas peças de sempre, mas com um sistema diferente, o técnico Jorge Jesus, em sua estreia pelo Flamengo, optou por fazer grandes mudanças em sua estreia pelo time. O empate em 1 a 1 contra o Atlhetico-PR, no primeiro jogo das quartas de final do Copa do Brasil, deixou evidente que o time carioca carece de ajuste fino para haver mais equilíbrio em campo sob o comando do técnico português.

Muita marcação e pressão ofensiva, os primeiros 20 minutos de jogo já indicavam que o time adversário vinha com velocidade e vontade de atacar. Jogadores de ataque com maiores pressões ofensivas, troca de passes vertical e rápida. O Flamengo de Jorge Jesus, sem dúvidas, é um time diferente.

A dificuldade para a aproximação com a bola nos pés e os erros de posicionamento, com certeza, chamaram a atenção, pelo menos no primeiro tempo de jogo. Em uma noite de claros impedimentos, o Atlhetico teve três dos seus quatros gols muito bem anulados, o VAR fez valer um novo sistema defensivo que joga no limite do erro.

Levando um saldo positivo para o próximo jogo que garante vaga na semifinal, a equipe de Jorge Jesus mostrou que em 20 dias pôde mudar consideravelmente sua forma de jogar. A mudança que mais se enxerga está no posicionamento defensivo, jogando com duas linhas muito bem definidas. Rodrigo Caio era quem ditava a altura da última linha e desde o início era claro que Vitinho e Arrascaeta teriam que se esforçar muito mais do que o de costume na marcação, o time do Atlhetico não estava para brincadeira.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Com o segundo tempo foi possível ver a volta de um Flamengo mais ajustado. O time se mostrava capaz de trocar passes para sair da pressão do Atlhético. Tanto que após lateral cobrado por Renê, empatou com toque por cima na saída de Santos.

O empate naturalmente levou o Atlhetico ao ataque, mas, muito mais bem ajustado, o Flamengo conseguiu seguir em frente diminuindo o campo e evitando os ataques do time adversário. Com Diego e Éverton nos lugares de Cuéllar e Vitinho, ganhou troca de passes e estava mais perigoso no contra-ataque.

Com o resultado final, podemos observar que o ajuste no time do Flamengo foi decisivo para o segundo tempo, o que deixou o time da casa menos incisivo nos minutos finais.

Panorama

Com o empate, o Flamengo segue na briga para garantir a vaga na semifinal. Com tudo igual, o próximo jogo será decisivo.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Sobre Luiza Mattos

Estudante de Jornalismo, apaixonada por futebol, política e jornalismo investigativo. Viciada em música, séries e coca cola.

Deixe uma resposta